Médicos sem Fronteiras!

Médicos sem Fronteiras!
Médicos sem Fronteiras! Doe 30 reais por mês...

Canal do Gaaia no youtube!

Loading...

quinta-feira, 19 de março de 2015

Gato Maracajá no Morro Botucaraí...

Gato Maracajá no Morro Botucaraí...


Predadores!!!

É uma espécie em perigo de extinção por causa de sua pele muito bonita, portanto, mais uma vez, o homem é o principal predador.




 A palavra Conservação parece pouco, eu sinto que sua pronuncia não alerta o suficiente, mas por isso manter viva uma espécie como o Gato-maracajá (Leopardus wiedii), sem um local protegido é quase impossível.


Conhecido localmente como gato do mato, muito poucos por aqui diferenciam uma espécie da outro, a diferença é mais notada na jaguatirica com o gato do mato.

 Sobre o gato-maracajá agora que consegui ver a diferença nítida no tamanho e na cor, com suas listras característica no peito, seu tamanho logo o identifica, outra vez eu tinha surpreendido o gato do mato pequeno, este era pequenino, já o maracajá eu fiquei surpreendido do tamanho e da cor, um amarelo sujo maravilhoso.

Tive envolvido cerca de três horas para conseguir imagens deste maracajá, todos os gatos são muito ariscos; pura sorte o vento estar a meu favor e eu não circular muito pela mata; ter paciência de sentar e ficar em silêncio gravando aves; fui recompensado novamente com imagens diurnas do segundo maior felino aqui da região; novamente porque em 2010 tentei está técnica de imitar uma ave ferida na mata e deu certo, mas eu tive a inexperiência de achar que o gato do mato pequeno faria posse para eu fotografa-lo, na época fique bem frustrado, mas sempre lembro agora de mudar para modo de filmagem.
Justo o que aconteceria novamente se estivesse fotografando, por isso felizmente estava preparado para filmar aves, foi quando senti que a mata silenciou; antes disto eu já estava imitando uma ave ferida,daí percebi algo descendo em meio as folhas secas, fui pessimista pensando que era uma pomba, mas ai o coração acelerou, segurei a câmera em uma das mãos e a outra comecei imitar de novo “chupando” as costas da mão tipo  uma aves ferida, parei fiquei em silêncio, o duro foi não se mexer e deixar a câmera parada, veja:





Veja mais sobre o gato-maracajá
Eles são mais fortemente associados com o habitat da floresta do que qualquer outro gato. Quando essas florestas são destruídas, esses gatos são incapazes de ajustar-se ao novo habitat destruídos. Recusando-se a atravessar áreas desmatadas, então eles são restritos a pequenas manchas de floresta, onde a consanguinidade e falta de rapina são prováveis resultados de estarem na lista de extinção. A destruição das florestas é a principal ameaça para esses felinos.










Até restrições comerciais no final dos anos 1980, o gato-maracajá foi um dos quatro gatos mais fortemente exploradas para o comércio de peles. Em algumas áreas, eles ainda são caçados ilegalmente por suas peles e perseguidos como assassinos de aves. Em 1991, verificou-se que o gato-maracajá foi a pele mais comum no comércio de pele sul do México, apesar de seu status de proteção.

A combinação de excesso de caça de pelo, a captura para o comércio de animais e desmatamento maciço praticamente dizimou as populações selvagens deste gato pequeno bonito. Eles nunca foram comuns, e são mais raros, em geral, do que a jaguatirica, tanto na natureza e em cativeiro.

Distribuição
Gato-maracajá são intolerantes com habitat alterado, recusando-se a cruzar áreas abertas sem cobertura. Eles evitam paisagens convertidos exceto para as plantações densas de café, cacau, eucalipto e pinho. Um estudo no norte da Argentina também encontrou mais baixas densidades Maracajá em parques do que e outras áreas protegidas, possivelmente devido à elevada população de jaguatiricas.


Ecologia

Gato-maracajá são os bruxos das copas das árvores, e estão muito bem adaptados ao seu habitat arbóreo. Uma característica única que lhes permite mover e caçar de forma mais eficaz nas árvores. Suas amplas, pés macios e dos pés móveis permitir-lhes para pendurar de galhos de árvores por uma pata traseira, e tornozelos são flexíveis e podem girar o pé 180 graus para fora. Eles são extremamente rápida, e até mesmo durante uma queda que pode agarrar a um ramo com uma frente ou pata traseira e subir novamente. Pés macios Gerais proporcionar uma boa plataforma para o salto e uma superfície de precisão efetiva para a escalada.

Eles são principalmente noturnos, tal como indicado pelos seus olhos enormes. Informações sobre as suas vidas em estado selvagem é muito limitado, mas pensa-se mais de sua caça é feito acima do solo. Um estudo na Mata Atlântica do Brasil determinou aves foram as espécies de presas mais consumidas (55%), seguido de répteis (41%).

Reprodução

Gato-maracajá são solitários, exceto por uma mãe com os gatinhos. Depois de um período de gestação de cerca de 76-85 dias, a um único gatinho, (raramente dois), nasce uma vez por ano. Ao contrário de outras espécies de felinos selvagens, gato-maracajá têm apenas um par de glândulas mamárias, e pode ovular espontaneamente. O peso ao nascer é de 84-170 gramas, e os olhos abertos em cerca de duas semanas de idade. Os jovens são mais escuros do que os adultos, e têm manchas escuras uniformemente e patas cinza escuro. O desmame ocorre em cerca de dois meses, e maturidade sexual é atingida em cerca de dois anos.Registros mostram que teve animais que viveram  até 20 anos de idade em cativeiro.

Predadores

É uma espécie em perigo de extinção por causa de sua pele muito bonita, portanto, mais uma vez, o homem é o principal predador.


Marcelo/Gaaia...