Médicos sem Fronteiras!

Médicos sem Fronteiras!
Médicos sem Fronteiras! Doe 30 reais por mês...

Canal do Gaaia no youtube!

Loading...

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Morro Botucaraí! Futuro incerto

 Futuro incerto do morro isolado mais alto do estado!

Recuperando o deslizamento de 2009.






Falar sobre o Botucaraí não é fácil, durante toda minha infância eu vi o “santo cerro” como um lugar de romaria na sexta feira santa, onde um grande número de fiéis sobe até o topo ou vão até a santa fonte para pagarem promessas ou agradecer por alguma graça alcançada; mas também tem aqueles que vão somente para comercializar seus produtos.





 Já de alguns anos para cá, tornou-se mais local de comercio do que de fé,saindo totalmente de seu propósito; os bebedores de vinho e de cerveja se divertem principalmente a tarde!
Para muitos o único propósito do Botucaraí é este, um propósito chocho; acho que é um modo de esconder o morro isolado mais alto do estado. Não serei eu, não será você! Que sozinho mudará isso; somente com ajuda de entidades de pesquisas, grupo legalmente constituídos ou universidades que poderão evidenciar através de  estudos,  a verdadeira importância do Morro Botucaraí para o futuro de tudo que ali está; que é uma importância cultural,paleontológica e arqueológica, nem se discute.















A questão ecológica onde sua fauna e flora evidenciam características únicas pelo seu isolamento e sua localização. Também sua latitude e a localização no extremo sul da mata atlântica recentemente levantaram interesse de alunos de uma universidade aqui da região, onde em 2014 iniciarão estudos de flora, fomos contatados para dar algum suporte, onde prontamente o Gaaia se colocou a disposição.

Foi uma excelente noticia, pode ser ai o pontapé inicial para o Parque ecológico do Morro Botucaraí, onde teremos mais estudos, levantamentos de flora e fauna que é essencial para criação de um parque, estação ecológica ou até mesmo refugio da vida silvestre.

Todas estas pincelada de idéias do que penso para o Botucaraí, não traduz a metades das possibilidades de crescimento no turismo aqui em nosso município; se criassem este parque, seriam trilhas de observação de aves ao redor do morro, local para Camping, museu de ciências naturais, guias, guarda-parque enfim, difícil é fazer o projeto por que recurso o governo federal dispõem.



 O Gaaia foi criado para alertarmos e fazermos algo de concreto em problemas como os deslizamentos, a santa fonte com água contaminada, o lixo que ficava nas trilhas depois de uma romaria e agora em 2014 o objetivo é o quanto antes fazer a manutenção da trilha principal.


Quem quiser ajudar com retalhos de madeiras, tabuas ou como voluntário mande um email para grupogaaia@gmail.com que responderemos informando a data;  será antes do dia 18 de abril, dia da romaria. A revitalização da trilha principal é urgente devido o perigo de pedras soltas, a possibilidade de acidente dobra do modo em que a trilha se encontra.








Marcelo Coimbra da Silva, Coordenador do Grupo de Apoio, Ações e Idéias Ambientais desde o dia 09 de Setembro de 2009.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

A fauna do Botucaraí-sabiá-cica

Sabiá-cica no topo do Morro Botucaraí!




Foi maravilhoso o momento da filmagem, já que eu conhecia só de fotos o sabiá que de sabiá não tem nada; é um papagaio silencioso dentro da mata. Por isso é difícil visualizar caminhado na mata, só com um enorme silêncio e muita paciência, assim consegue-se avistá-la.
Ela é uma excelente imitadora, falam que seu nome veio das imitações dos sabiás laranjeira, coleira, entre outras; mas veja no vídeo que a imitação desta sabiá-cica é parecida com o som do macaco prego.
Fazia algum tempo que ouvia suas imitações,dai sentei em um lugar estratégico(frutífera) e pronto.

 




                                       Filmada dia 24 de novembro no topo do Morro Botucaraí.











Veja mais(fonte: wiki aves)
O sabiá-cica é uma ave psittaciforme da família Psitacídea. Também conhecido ao longo de sua distribuição geográfica, como cunhataí, sabiaçú, araçuaíva, mãe-de-sabiá, papagaio-da-capoeira, papagaio-viola e papagaio-de-peito-azul.



Mede entre 19 e 21 cm. As populações da região Sul do Brasil apresentam tamanho corporal em média, maior que as do Sudeste e acima. Apresenta o colorido geral em um tom verde-profundo, incomum em outros psitacídeos. Os machos apresentam o ventre de cor violeta-azulada, sendo que desde filhotes já apresentam manchas dessa cor. Machos em idade avançada tendem a apresentar coloração violeta-avermelhada. As fêmeas são completamente verdes. Ambos os sexos possuem o bico quase branco.
Muitos não sabem que o sabiá-cica é um psitacídeo que canta como um sabiá. Seu nome vem do Tupi, que significa “mãe do sabiá”. Há indícios de que boa parte do canto seja assimilada desde filhotes ao ouvirem os sabiás da área, pois, há sabiá-cicas cujo canto lembra o de sabiás como o laranjeira, coleira, da mata, preto e pardão-da-Bahia. Alguns ornitólogos interpretam essa característica como um complemento de sua camuflagem, ou defesa.
O Sabiá-cica possui hábitos diferentes dos da maioria dos psitacídeos. São vistos quase sempre sozinhos, aos pares ou com filhotes. São geralmente silenciosos em voo, e pousados, pouco vocalizam seus chamados agudos, estridentes e em escala ascendente. Quando pousam nas árvores o fazem em silêncio e permanece um bom tempo imóveis, camuflado-se e observando ao redor, à exemplo do tuim (Forpus xanthopterygius). Ave da Mata Atlântica litorânea, é típico de florestas primitivas, mas frequentam vegetação secundária.




Localidades onde foi fotografada e avistada  no Estado do RS;e agora mais ao sul no topo do Morro Botucaraí em Candelária –RS.
Rio Grande do Sul
Cidade
Fotos
Sons

1
1
3
0
5
0
0
1
1
0
1
0
Total
11
2



quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Aconteceram novos deslizamentos no Botucarai!


13/11/2013











                 













Pela manha eles ficam bem visíveis, um pouco mais ao
 norte dos anteriores.


Veja mais fotos:

Foto dos deslizamentos que ocorreram de 11 para 12 de novembro.

Estas chuvas superaram todas as anteriores em volume de água e  fazem recordar o período de chuvas de agosto de 2009 quando ocorreu o charco da parte leste do Morro Botucaraí, onde sem estrutura devido a queimada de 1991, o solo deslizou de cima da rocha levando uma grande quantidade de terra; chegando a dimensão de 220m x 25 deixando o Botucaraí com uma cicatriz visível até hoje, mas isso não parou por ai em 2011 agora não pela chuva mas pelo enfraquecimento da estrutura das raízes teve o segundo deslizamento com dimensões um pouco menor, cerca de 50m x 10m este ocorreu em 20 de abril de 2011; de lá para cá a tentativa de cobrir o solo foi intensa, mas até hoje não foi satisfatória.

No amanhecer do dia 12 de novembro, com a preocupação de todos com os estragos que a água causou em todo o município; uma delas foram os novos deslizamentos no Botucarai, agora mais ao norte dos de 2009 e2011 e também bem menores. Aparentemente são três e hoje dia 13  fomos medir e  fotografar mas não conseguimos chegar até o local, devido ao incêndio de 91 teve um crescimento excessivo do  espinho esporão de galo,urtigões e criciúmas entre outro formando uma barreira intransponível.


13/11/2013
Três deslizamentos: o maior, da esquerda para direita medindo 68 metros por 8 metros de largura, os outros dois com 30 metros de comprimento por 12 metros de largura.
Mas logo mostrarmos novas imagens dos deslizamentos.







sábado, 21 de setembro de 2013

           O Surucuá de Barriga Vermelha na Trilha do Morro Botucaraí- Candelária/RS
           













 Desde minha infância, me deparava com esta ave nas matas aqui da região, naquela época , chamávamos de Pavãozinho, quem sabe por sua plumagem ser bastante colorida. Com seu nome  científico  “Trogon Surucura”,  nome popular é Surucuá de Barriga Vermelha, sendo que existe o de barriga amarela e outro chamado de variado devido sua plumagem variar em tons azuis; mas até agora só vimos aqui em Candelária o de barriga vermelha.
       


  O Surucuá é uma ave extremamente silenciosa na mata, de difícil observação. Quando você prepara tudo para uma boa foto ou filmagem, ela silenciosamente voa a outro galho e assim faz inúmeras vezes. Não chega ser arisca, mas se incomoda com o barulho do deslocamento pela mata.

 O Surucuá se alimenta principalmente de insetos maiores e também anfíbios como rã e pererecas, justamente  onde encontramos  é a beira de arroios, sangas, córregos, nascentes, lagos, açudes. É raro não encontrar um Surucuá onde a mata é bem preservada,  fechada, com pouco movimento de pessoas, água limpa, pequenas quedas d‘água, etc.







                                                                                           















A nidificação do Surucuá é quase sempre em um cupinzeiro nas árvores, onde ele escava quase sempre de baixo para cima, vimos em especial um ninho de Surucuá na trilha do Botucaraí, em um oco na há uns 100 antes do topo; este Cassal de surucuá conseguiu criar dois filhotes onde um deles consegui filma-lo se alimentando de um belo gafanhoto.Veja este vídeo no canal do Gaaia e também no Blog.





Um dos filhotes, tudo indica que será uma fêmea devido a plumagem clara.

domingo, 25 de agosto de 2013

Risco de outro deslizamento!


Risco de outro deslizamento!

Esta chuva continua fazer recordar o período de chuvas de agosto de 2009 quando ocorreu o charco da parte leste do Morro Botucaraí, onde sem estrutura devido a queimada de 1991, o solo deslizou de cima da rocha levando uma grande quantidade de terra; chegando a dimensão de 220m x 25 deixando o Botucaraí com uma cicatriz visível até hoje, mas isso não parou por ai em 2011 agora não pela chuva mas pelo enfraquecimento da estrutura das raízes teve o segundo deslizamento com dimensões um pouco menor, cerca de 50m x 10m este ocorreu em 20 de abril de 2011; de lá para cá a tentativa de cobrir o solo foi intensa, mas até hoje não foi satisfatória.

Veja nestes links do blog:


Um novo deslizamento..







Candelária, 28 de Janeiro de 2010

A primeira etapa da tentativa de recuperação do deslizamento que ocorreu no Morro Botucaraí foi no dia 31 de outubro de 2009, pouco mais de dois messes do deslizamento que ocorreu em 08 de agosto do mesmo ano.Procuramos a cobertura vegetal adequada para mantém a temperatura do solo mais baixa e úmida,sem a cobertura a temperatura é mais elevada, vimos que ficaria muito difícil o crescimento das plantas nativas no solo desprovidos de cobertura vegetal. As temperaturas mais elevadas acelerar a mineralização da matéria orgânica; isto reduz a estabilidade da estrutura de miolo de solo e o solo torna-se facilmente erosíveis. Ele também perde a sua capacidade de reter a água, reciclar nutrientes minerais, fixação de nitrogênio, e a facilmente se transforma em uma massa morta de argila e areia. Dai sem cobertura vegetal e a ação espancamento do vento e chuvas afrouxarem o solo superior, dando inicio ao processo de assoreamento do solo; principalmente ali que é muito íngreme.....


Hoje dia 25 de agosto de 2013, já se passaram 4 anos do primeiro deslizamento e ainda há risco de mais, com estas chuvas incessantes, podemos amanha olhar para o Botucaraí com mais uma cicatriz marcante como esta que tanto me preocupa e tanto tentamos recupera - lá sem muito resultado,mas poucos querem aventura,a maioria já não pode ajudar aos fins de semana, fica um convite para os aventureiros de plantão, que queiram praticar rapel(formação de um grupo) e varias outras atividades aos finais de semana.



 




Gaaia Candelária RS.  

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Algumas palavras para o dia mundial do Meio Ambiente 2013.

                          A semana do meio ambiente 2013 é diferente?




A educação ambiental nas escolas brasileiras fornece uma visão de alfabetização importante para os dias de hoje, isso é bom para os alunos tirarem suas próprias conclusões diante de varias contestações  sobre os problemas climáticos; com isso o meio ambiente que os alunos devem conhecer,  compreender e ser capaz de entender em várias fases da sua educação é um só.

O professor deve desempenhar um papel central no desenvolvimento do entendimento dos alunos. As idéias de conservacionistas muitas vezes não eram digeridas por educadores, mas com o passar dos anos foram se rendendo as chamadas mundiais para os problemas climáticos.

 Assim, a dádiva para o ensino da ciência, o desenvolvimento profissional de professores de ciências, avaliação, programas de educação ambiental, ciência das pesquisas e os sistemas de educação científica são incorporadas nas escolas brasileiras, passando todo este riquíssimo conhecimento para nossos filhos; com isso a responsabilidade de proporcionar o apoio necessário para atingir a alfabetização ambiental recai sobre todos os envolvidos no sistema de ensino da escola.

  As primeiras aulas de ciências para estudantes são os mais importantes e criam um encanto especial em observar os objetos e materiais em seu ambiente; distinguem um do outro; observando suas propriedades, padrões e mudanças, desenvolvem explicações de como as coisas se tornaram o que são. As atividades incluem observação de mudanças no tempo e nas posições dos objetos, bem como examinam as propriedades dos materiais da Terra, como o solo, rochas, água e fósseis; os alunos  começam a construir modelos mentais que explicam as relações visuais e físicas entre os objetos e compreender melhor a natureza.

Semana do Meio Ambiente comemora um momento de crescente conscientização, que está semana também sirva para algum aprendizado, um pouco de diversão e um pouco de ação. E assim Celebrar inúmeros projetos mundiais que se somam em uma só ação trazendo a comunidade em conjunto para um futuro mais verde.


Mudar o mundo começa por nós! Pequenas ações de cada um de nós se somam para fazer uma diferença significativa para o mundo. Variedade é o tempero da vida, assim como a biodiversidade é para a saúde do planeta. Ele é medido por variedade entre as espécies  e a variedade entre os ecossistemas. Há muitas ações que cada um pode tomar para reduzir a nossa pegada ambiental e ajudar a manter a biodiversidade.

Participação em eventos da Semana do meio ambiente local é uma ótima maneira de descobrir coisas simples que você pode fazer para o meio ambiente. As escolhas que você faz, grandes ou pequenas são as que valem e realmente fazem a diferença, mas o mais importante é ser você mesmo.



Marcelo Coimbra da Silva/Grupo Gaaia.