Médicos sem Fronteiras!

Médicos sem Fronteiras!
Médicos sem Fronteiras! Doe 30 reais por mês...

Canal do Gaaia no youtube!

Loading...

domingo, 24 de junho de 2012

Somos a espécie dominante; nem Deus nos detém! "Assim pensam os lideres mundiais."


Somos a espécie dominante; nem Deus nos detém! "Assim pensam os lideres mundiais."

Tínhamos um fio de esperança na esfera federal ,mas fiquei decepcionado com o resultado da Rio+20 .Não,para ser sincero esta sendo uma tendência mundial acharmos que somos superiores a Deus;começo por minha cidade, aqui em Candelária e região no Centro do Rio Grande do Sul, o setor habitacional constrói em áreas de risco(ao lado de rios,arroios, encostas),não respeitam locais que enchentes já deixaram inúmeros desabrigados, sabendo que a tendência de enchentes é aumentar;mas o pior é que liberam os licenciamentos, a tal municipalização de licenciamento , virou um modo fácil de arrecadar ;pagando tudo pode,vamos ver se na hora de remover os desabrigados, o” canetaço” será tão rápido.


Enquanto isso no Rio de Janeiro, no encontro da raça superior “os humanos” aqueles que só pensam em lucros o documento final da Rio+20 foi aprovado dia 22 de junho, sem alterações pelos chefes de estado e será oficialmente adotado por mais de 190 países. O texto foi finalizado no dia 19 e, em tese, poderia sofrer mudanças nesta fase, o que não ocorreu.


O documento final não faz menção à criação de um fundo de US$ 30 bilhões, financiado majoritariamente por países ricos, para arcar com ações de sustentabilidade no mundo. Há apenas um comentário genérico sobre o fato das nações mais ricas terem mais responsabilidades com o meio-ambiente.


Ambientalistas, esta palavra virou pejorativa, entre tais sabedores de tudo, quase “deuses” aqueles que defendem com unhas e dentes seus setores elegedores, financiadores, empregadores,etc.

Açude seco no inverno?

Os ambientalistas estão sofrendo preconceitos em defender uma causa nobre, sem interesses financeiros, tentam abrir os olhos da sociedade para problemas ambientais, que nos afetarão em curto prazo; onde é visível à diminuição do volume de água ano a ano sem preocupação de algumas pessoas que realmente já tem o poder nas mãos e não fazem o certo para nosso futuro; onde a mata ciliar é a 1° defesa de nossas águas,tornando- as mais ralas,e estreitas sentiremos logo seus efeitos. 

no setor agrícola,com certeza a agricultura não é a mesma que no tempo de nossos avós , onde lançávamos as sementes e a chuva vinha na hora certa raramente tinha seca,o clima era previsível, com as suas particularidade em cada estação.




Açude seco no inverno?
 

Ninguém é louco em não valorizar o setor que nos alimenta, mas tem gente que faz questão de fazer os dois setores não entrarem em acordo, mas convenhamos nos municípios colocam secretaria do meio ambiente só de fachada para obter recursos federais, e não aplicam para tal fim. Certamente, é justo sim aplicar os recursos em projetos agrícolas, mas recursos destinados para agricultura.


Fico desanimado quando vejo nos jornais da região, propaganda eleitoreira enganando os pequenos agricultores, lançando projetos maravilhosos com apoio desta ou aquela instituição. Aqui lançaram dezenas! Só alguns se beneficiam e não vejo nenhum em funcionamento.


Mas eu falava da dificuldade de produzir nos tempos de hoje, temos que armazenar água no verão e no inverno veja nesta foto do dia 24 de junho, inverno; temos ainda falta de água, isto está se tornando comum.

Açude seco no inverno?


Rio Pardo seco! 

Quando falamos em efeito estufa não damos a devida importância para o assunto, temos uma errada sensação de que este efeito da ocupação humana nunca irá nos atingir, é sempre o outro que se importe! A outra pessoa, o outro País, o outro Continente, mas somos um só Planeta; tudo que nele fizermos de uma forma ou de outra sentiremos na pele alguma conseqüência a curto ou longo prazo.

Sonhamos com um pensamento unificado no futuro,que a agricultura seja apoiada e conduzida sabiamente para mantermos nosso Planeta habitável, só temos que deixar à arrogância, o orgulho e a ganância de lado; e substituir por um sentimento honesto para com o próximo, a agricultura e o meio onde vivemos.


Marcelo Coimbra da Silva, Coordenador do Grupo Gaaia.




Dependemos totalmente do clima, e o clima é o meio em que vivemos;não temos como fugir das consequências.


Poderiamos mudar estes pensamentos com!
 Educação Ambiental na escola, dai começariam a consientizar desde sedo sobre sistemas hidrológicos, de proteger o solo, descutindo a instabilidade climática, os recursos renovável e a diversidade biológica, como manter o equilíbrio natural do meio ambiente, promovendo o turismo de observação de animais, criação de oportunidades de emprego, tecnologia e educação.