Médicos sem Fronteiras!

Médicos sem Fronteiras!
Médicos sem Fronteiras! Doe 30 reais por mês...

Canal do Gaaia no youtube!

Loading...

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

O Rio Pardo desaparecerá até 2050.



O Rio Pardo desaparecerá até 2050


 


"Sonhamos com um pensamento unificado no futuro, para mantermos nosso Planeta habitável, só temos que deixar à arrogância, o orgulho e a ganância de lado; e substituir por um sentimento honesto para com o próximo e o meio onde vivemos".Marcelo Coimbra da Silva



Texto que publicamos na Gazeta do sul.


A água é um bem finito que vem causando sérias preocupações no mundo todo, uma vez que suas fontes estão cada vez mais escassas. A maior parte de toda a água doce do planeta encontra-se na América do Sul, mais precisamente no Brasil. E, infelizmente, nossos governos e o próprio povo não têm respeito por este patrimônio tão indispensável ao homem e a todos os seres vivos.


Água salgada: aproximadamente 97% (da massa líquida);


Água doce: aproximadamente 3% (do total);


Água potável: aproximadamente 0,7% (pronta para o consumo).




" Pois são justamente esses que com o passar dos anos ,serão os mais prejudicados se no senado for aprovado só 15m de conservação da mata ciliar,inicialmente foram os Deputados depois os Senadores e agora a Presidente,15 metros é insignificante,todavia temos senadores sensatos que obviamente pensaram o Brasil como um todo,sabem os problemas que podem criar para o futuro,a não criação de certas defesas da água,como esta,onde a mata ciliar é a 1° defesa de nossas águas,tornando- as mais ralas,e estreitas sentiremos logo seus efeitos ,é notório que para os produtores 15m a mais ou há menos,não faltará terras para plantar,não passarão fome como certos Deputados insistem em falar .Mas para o meio ambiente 15 metro e de grande valia,para a conservação dos leitos onde sabidamente produtores de arroz necessitam de muita água para planta.deveriam ser os grandes defensores do Meio Ambiente pois tiram dele seu sustento sem sequer apoiar quem defende inconscientemente também seus interesses".




Quando começamos com o GAAIA (Grupo de Apoio, Ações e Ideias Ambientais) aqui em Candelária vimos o enorme mal que causaria a aprovação do novo código. Cito como exemplo a faixa de apenas 15 metros que a lei irá obrigar a preservar. Isto é muito pouco para conter a água da chuva e poderá assorear cada vez mais arroios e rios. É preciso lembrar que mesmo com a lei anterior, que obrigava a preservação de uma área de 30 metros, já era notório o desmatamento. Portanto, não podemos retroceder por interesses políticos e puramente combinados em troca de votos.
Estimamos que até 2050 o Rio Pardo desapareça, como já aconteceu em arroios e rios do norte do país;onde era visível à diminuição do volume de água ano a ano sem preocupação de algumas pessoas que realmente já tem o poder nas mãos e não o fazer;temos que aos poucos sensibilizar a sociedade para o problema.



A poluição ambiental é um dos principais fatores que colaboram com a degradação dos recursos hídricos do país.


Os rios como o nosso Rio Pardo são poluídos por agrotóxicos, resíduos industriais, resíduos de lixões e lançamento de esgoto doméstico sem tratamento.


                                                                



O desmatamento das margens dos rios faz com que o solo fique desprotegido e sem árvores, a água das chuvas escoa rapidamente para os rios, causando enchentes e arrastando detritos que podem obstruir o leito dos rios.Cidades não usam seu plano diretor, dai formam-se Favelas e loteamentos clandestinos e casas constróem às margens dos rios e represas, poluindo os reservatórios e ameaçando a saúde de todos.


A irrigação para cultivos agrícolas, atualmente responde por mais de dois terços de toda a água retirada de lagos, rios e reservatórios subterrâneos, segundo a FAO-ONU (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação).


Ao desperdiçar comida, desperdiça também a água usada para produzi-la. Nas lavouras são utilizados métodos de irrigação pouco eficientes que desperdiçam muita água.




Marcelo Coimbra da Silva/coordenador. Grupo GAAIA Candelária -- RS.








O nosso  Rio Pardo sempre foi assim?